Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Resumo da matéria dada - o que quero manter em 2019

via

 

Falei há dias de um exercício de resumo do ano que passou para ver as “lições aprendidas” e o que queremos trazer para este novo ano. Fiz o exercício e agora deixo aqui as minhas notas.

 

Vou, por opção, falar apenas das coisas boas que aconteceram e que quero manter ou desenvolver ainda mais. As coisas menos boas foram importantes também, para… testar os limites… digamos. São coisas que não estão esquecidas e que sobretudo me deram como lição focar-me mais nas outras, que em vez de me tirarem energias, me alimentam! E é isso que eu quero para 2019 (e para todos os anos)!

 

E então aqui vai o resumo do meu 2018, e um la-mi-ré do que vou fazer por que aconteça em 2019:

 

  • Almocei, lanchei e jantei várias vezes com vários amigos! (boas conversas, bons momentos e boas risadas! E alguns assuntos sérios também)
  • Visitei com o meu pai uma cidade onde vou com bastante regularidade mas desta vez vimo-la com “outros olhos” e vivemo-la de outra forma
  • Viajei com umas minhas primas e passei dias bem divertidos em Barcelona
  • Com umas amigas recuperei baterias com os ares bons d'O Meu Monte no Alentejo
  • Fui à melhor festa do Ano – para mim claro! , assisti a bons concertos, dei o pontapé de saída para o piquenique da família, fui ao cinema e a um jantar de ex-alunos
  • Celebrei o meu aniversário! Duas vezes! Só porque sim!
  • Da lista das 40 coisas já risquei uma série de pontos! (novidades em breve)
  • Visitei o Aqueduto das Águas Livres
  • Fiz o exame de Espanhol
  • Vi o Blog destacado pelo Sapo e atingi o meu objetivo para 2018
  • Fiz um workshop de colagens com a Margarida Girão só porque sim
  • Participei em torneios de natação
  • Voltei a dar sangue
  • Cumpri uma mega missão destralhar!
  • Voltei a passar uma semana de férias com os primos – uma tradição a manter
  • Fiz Broas com a receita de família e a supervisão da minha Tia
  • Organizei o Primo Secreto no Natal
  • Passei o ano numa festa pequena mas muito, muito divertida! Tal como tinha desejado.
  • Comprei batons vermelhos (o vício começou em 2014)
  • Passei uma semana sem comer carne nem peixe
  • Li, mas não tanto quanto queria
  • Levei o meu pai, pela primeira vez, a um jogo da Seleção Nacional

 

Este é o meu resumo de 2018. É isto que eu quero para 2019, mesmo que sob outras formas, outros desafios e outras descobertas. Quero viajar, divertir-me, aprender, sair da minha zona de conforto, relacionar-me, continuar a usar baton vermelho, fazer algo pelos outros, mas também fazer coisas por mim. Ainda não foi desta que fiz a playlist da TSF mas… lá chegaremos!

 

 

É tempo de balanços e expectativas

via

 

O final do ano é tempo de balanços e expectativas. Pensamos no que alcançámos neste ano e começamos a pensar no que queremos fazer, melhorar, aprender para o ano seguinte. Lembrei-me que uma coisa gira para fazer como balanço do ano era deixar a lista dos posts mais visitados em 2018. Comecei a pensar nisso et voilà! a equipa dos Blogs do Sapo simplificou-me todo o processo! 

 

Mas antes de continuar a falar sobre esse Top 10 deixem-me contar-vos uma coisa e fazer um agradecimento. Neste simples e querido blog, escrevo por vontade de partilhar convosco ideias que tenho, coisas que acho interessantes, algumas sugestões e inspirações. Acredito que pode ser útil a alguém, em determinada altura, e faço-o porque gosto. Mas também gosto de desafios, objetivos e estatísticas.

 

No final de 2017, e por brincadeira, defini que queria ter um determinado número de subscritores. Eram muito poucos, mas um número redondinho e que me dava ânimo conseguir alcançar. Fiz lobby junto da família e consegui chegar a esse valor mesmo perto do final do ano. Na entrada de 2018, quando defini os meus objetivos pessoais, defini também alguns aqui para o blog. Como em tudo na nossa vida, quando temos um objetivo traçado todo o caminho é mais claro, sabemos até onde queremos ir e muitas vezes o que devemos fazer para lá chegar.

 

Estava de férias quando alcancei esse objetivo. Não imaginam como fiquei feliz com esse facto! Apesar de se manter um número pequeno e redondinho consegui alcançar uma meta! E isto era a coisa que eu vos queria contar: com a vossa ajuda, e a meio do ano, concretizei o objetivo que tinha definido para o blog em 2018!

 

A parte do agradecimento vem agora. Se não fossem as pessoas que o visitam, o acompanham e deixam, ou não, comentários eu não teria tido esse momento tão animado e esta sensação boa de superação. Assim como também não teria sido a mesma coisa se a Equipa dos Blogs do Sapo não destacasse alguns dos meus posts! A eles se deve este Top 10 porque os posts mais lidos deste ano foram quase todos destaques do Sapo.

 

Antes que pensem que tenho contactos privilegiados deixem-me dizer-vos que não sabem a quantidade de vezes que euzinha já pensei nisso: “Será que conheço lá alguém e que esse alguém, simpaticamente e em silêncio, promove o meu blog?!” Mas chego sempre à mesma conclusão… nops! Não conheço… Por isso, destacam os posts porque gostam deles, porque fazem sentido ou os acham úteis. E isso, só por si, é uma grande recompensa! Muito obrigada aos Senhores do Sapo e a todos os leitores do blog!

 

E finalmente, aqui está o Top 10 dos posts mais visitados no Edição Limitada:

1. O valor das pequenas coisas

2. Cuidado com o que desejas

3. Missão destralhar: o esforço compensa!

4. Vamos espalhar magia...entre os primos!

5. Os telhados da nossa rua

6. Querido Diário

7. Setembro é como Janeiro, podemos sempre começar de novo

8. Pedido de desculpa formal 

9. Julho - o mês sem plástico

10. É hoje! A lista das 40 coisas!

 

 

Como disse no início, estamos em tempo de balanços e expectativas. O balanço é positivo e a expectativa para 2019 também! 

 

 

 

Dar sangue é dar vida!

via

 

A primeira vez que dei sangue foi num acto mais egoísta que altruísta. Admito. Estava desempregada há algum tempo e sentia-me inútil. Pensei no que podia fazer para mudar essa sensação, alguma coisa que não me enviasse cartas a dizer “obrigado mas não precisamos de si”, e lembrei-me de ir dar sangue. Infelizmente há sempre alguém a precisar da dádiva de um perfeito estranho.

 

Fui à maternidade Alfredo da Costa e não pude dar, estava fechado. Mas voltei e dei. Passado uns tempos, no local onde trabalhava faziam recolhas regulares e voltei a dar. Depois mudei de trabalho e também de ponto de recolha, passei a ser dadora no Hospital D. Estefânia. E embora seja verdade que da primeira vez o fiz para me sentir útil à sociedade, de todas as outras vezes fi-lo sem qualquer interesse. Apenas e só para poder ajudar alguém que pudesse precisar.

 

Uns anos mais tarde, tive um tio doente que fazia muitas transfusões de sangue e, depois dele, também o meu avô precisou de as fazer. Lembro-me de ter pensado que alguém os tinha ajudado, um dador como eu, alguém que se dispõe a dar um bocadinho de si. Um bocadinho que pode ser tão grande na vida de outra pessoa.

 

Ontem voltei a dar sangue! Fui, como sempre, muito bem tratada. Desta vez não fui sozinha, fui com uma colega de trabalho que já queria fazer isso há muito tempo.

 

E para quem pensa que dar sangue é um processo super difícil e complicado aqui ficam os requisitos:

  • Ser saudável e ter hábitos de vida saudáveis 
  • Ter entre 18 e 65 anos (sendo que a primeira dádiva deve ser antes dos 60)
  • Regularidade: Homens a cada 3 meses, Mulheres a cada 4 meses
  • Tomar uma refeição ligeira e sem gorduras antes de ir dar sangue

 

Antes de dar sangue preenchemos um questionário, depois vamos a uma consulta com um médico que avaliará se estamos aptos, ou não, para fazer a colheita nesse dia (níveis de hemoglobina, tensão arterial, medicação que estejamos a tomar, peso, etc). E depois disto é só esperar pelo tempo da recolha. Embora possa parecer assustador, não é! E no final ainda recebemos um lanche. Ninguém sai dali sem comer qualquer coisinha!

 

Os inconvenientes? Ora bem… nada de exercício físico nesse dia, beber mais líquidos do que o habitual (o que também não é grave) e não fazer esforços, nem carregar pesos. Nada demais!

 

Para aqueles que até gostavam de dar sangue mas andam a adiar essa decisão… sugiro que não pensem muito nisso, pesquisem onde o podem fazer nas vossas zonas de residência, ou trabalho, e vão lá. Se não puderem dar, o médico diz. Se tiverem dúvidas, serão esclarecidas. Se tiverem medo… vão ver que isso depois passa!

 

Para quem quiser mais informações:

Perguntas frequentes do Instituto Português do Sangue e da Transplantação

http://www.dador.pt

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D