Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Eu também quero!

via

 

"quero aprender a não reclamar de nada. quero aprender a agradecer (mais) por tudo. quero saber parar quando der por mim a queixar-me de porcarias. quero parar e mudar. quero saber repetir que a vida não é sobre ficar a reclamar de braços cruzados. a vida é sobre ir lá e fazer melhor. é sobre ariscar cair. se caires, paciência. levanta-te e tenta de novo. quero lembrar-me (sempre) que sou eu quem define o que me define. quero ser agradecida pelo que tenho e saber que isso não é igual a não lutar pelo que quero. quero dizer obrigada aos que estão ao meu lado, aos que puxam pelo melhor de mim e aos que me dizem quando erro. esses são os que me merecem sempre. os outros, tanto me faz se vão à frente ou atrás. quero nunca passar para o lado de lá da força: gosto muito da vida que vivo, e a minha basta-me. quero poder partilhar a maior lição que aprendi (a errar muito) com a vida: a ser menos dura comigo mesma. a abraçar-me mais. a proteger-me mais. a ser mais minha amiga. a dizer: eu primeiro está certo. é bom. é bonito. é auto-cuidado. traz leveza ao mundo. e traz clareza cá dentro."

 

do blog às nove

 

 

Yes, you will!

If you look for beauty, you will find it.

via

 

Os dias não são todos bonitos, com um céu azul que se confunde com um qualquer mar das Caraíbas, ou repleto de estrelas cadentes, carregadas de desejos a concretizar. Nem todos são bonitos. Mas em todos há algo em comum: a possibilidade de encontrar coisas boas. Coisas más acontecem, é verdade. Mas as boas também!

 

É mais ou menos como encontrar carros amarelos, ou moedas no chão, não é comum, mas a partir do momento em que começamos a ver se encontramos... parecem pipocas! Tal como as coisas boas. Podemos até começar com as mais simples como alguém que nos deu o lugar no autocarro, ou uma criança que nos sorriu na rua e disse adeus, depois começar a aumentar o nosso grau de contentamento: um postal na caixa do correio, um elogio de uma pessoa amiga, um bom dia de trabalho, por aí fora.

 

As coisas boas existem. Nós é que temos de querer encontrá-las. E a partir do dia em que estejamos disponíveis para as ver... vamos ver que são muitas! E sim, mesmo em dias difíceis!

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D