Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

O melhor do meu dia!

via

 

As minhas viagens casa-trabalho-casa são maioritariamente acompanhadas por um livro ou por troca de mensagens para “pôr a escrita em dia”. Não foi o caso de hoje e já vos conto o resultado!

Hoje vim sem bateria no telemóvel e decidi sair de casa sem o tijolo que comecei a ler. Tijolo no sentido do seu tamanho e peso. 590 páginas ocupam espaço e pesam ao final do dia… já para não falar na impossibilidade de ler no metro de manhã. Mas vamos ao que importa.

O facto de vir “livre”, permitiu-me pensar um pouco. Quando nos permitimos estes momentos de pausa, muitas vezes as ideias pipocam. Foi o que aconteceu! Comecei por me lembrar do Frasco das Coisas Boas e soube finalmente o que fazer com ele! Depois disso, e mantendo o foco nessas pequenas coisas que nos acontecem durante os dias, mas às quais muitas vezes não damos o devido valor, lembrei-me de lançar um desafio a algumas amigas: durante uma semana iríamos partilhar as coisas boas dos nossos dias. O pontapé de saída seria meu com a minha coisa boa de ontem: almoçar um risotto de cogumelos (que eu adoro) numa esplanada.

Assim que o telemóvel recuperou a sua energia lancei o desafio! E foi aceite! Algumas já começaram a partilhar as suas coisas boas de ontem e de hoje.

Para hoje posso dizer-vos que já tenho duas coisas a colocar na minha lista: o elogio de uma colega e um senhor a tocar violino numa esquina e a alegrar toda uma rotunda!

E vocês, já pensaram/registaram uma coisa boa hoje? Que tal desafiarem os vossos amigos a fazer o mesmo?

 

 

33. Deixar um livro por aí

“Pegou no livro, sorriu, mostrou à amiga, sorriu mais um bocadinho, abraçou-o e levou-o ao colo.” Este foi o final da história! Vamos começar pelo princípio e sem o “Era uma vez”.

 

Convenci uns dos meus colegas a participar nesta missão: deixar um livro num lugar público e esperar que alguém o leve! Na hora do almoço lá fomos os três, com cara de quem vai tramar alguma, direitinhos ao local mais movimentado da zona.

 

A sensação de ir deixar um segredo à vista de toda a gente, na hora de almoço de um dos locais mais agitados da cidade, é muito engraçada. Parece que estamos a fazer algo ilícito. Quando na verdade… era apenas um livro.

 

Este era o plano:

  1. Sentarmo-nos na esplanada mais próxima;
  2. Analisarmos o melhor banco onde deixar o livro;
  3. Sorrateiramente deixá-lo lá como se nada fosse;
  4. Ficar na esplanada à espera até alguém pegar nele.

 

Decidimos deixar o livro num dos bancos perto da paragem do autocarro. Como há sempre gente à espera do autocarro… pareceu-nos ter potencial. Lá fui eu, sentei-me no banco, deixei-o, levantei-me e voltei para a esplanada, como se não fosse nada comigo. NADA! Nem uma alminha olhou para o dito…

 

Como em todos os projetos, quando a coisa não está a funcionar, avalia-se e definem-se novas estratégias! Assim foi. Mudámos de banco. Desta vez num local de passagem, entre um quiosque de revistas, o metro e um quiosque de cafés.

 

Passa a primeira pessoa. Sustemos a respiração. Olha para o livro e… segue o seu caminho. Voltamos a respirar. Aproximam-se duas raparigas, abrandam o passo, uma delas olha de lado para o banco, nós sustemos a respiração e elas param! Uma delas pega no livro, a outra mantém-se desconfiada. Leva? Não leva? Começamos quase a fazer apostas. Mexe no livro, folheia-o, sorri, abraça-o e segue com um sorriso de orelha a orelha! Ela e nós!

 

Ia mesmo com um ar feliz quando passou pela esplanada. Mal ela sabia que estávamos a observá-la desde que se aproximou do banco e o fizemos até que deixou de estar no nosso campo de visão. Foi uma experiência mesmo engraçada! E ela ia mesmo feliz!

 

O que falta aqui contar é que na capa do livro estava um autocolante do booksharing.pt e uma fita vermelha. Afinal de contas era um presente!

 

booksharing.jpg

 

 

Sei o que fizeste o mês passado - Fevereiro e Março

via

 

O mês de Março foi qual montanha russa! Umas coisas atrás das outras. E, como diz o ditado… algumas ficaram para trás… O facto do Carnaval ser em Março e a Páscoa no final de Abril não ajudaram em nada, parece que o tempo andou descompassado. O resumo do mês de Fevereiro foi uma das coisas que ficaram para trás… mas vamos recuperar isso hoje! Hoje o resumo é dos dois meses: Fevereiro e Março.

 

Fevereiro

  • Finalmente fui ao Bingo e risquei uma coisa da lista!
  • O concerto Snow Patrol também foi muito bom e um óptimo presente de Natal!
  • Fevereiro foi o Mês das Cartas (e dos postais) o que deixou muitas caixas do correio felizes
  • E também foi o mês do grande desafio #28diasadestralhar (destralhei 213 em 406 coisas mas foi muito bom! Entretanto já destralhei mais 20 e o processo continua)
  • Andei a preparar lista das 41 coisas que este ano foi ligeiramente mais difícil de completar…
  • Leituras: recebi de presente um livro da Clarisse Lispector que comecei a ler e cuja leitura está em curso
  • Encontros com amigos e recuperar a tradição do jantar mensal com a Grupeta
  • Consegui chegar aos 1700m a nadar e depois aos 1800!
  • Coisas boas – o registo das coisas boas mantem-se e sinto que o hábito está mais enraizado! Registei 18/28 dias de coisas boas. Uma delas está aqui e outra foi uma encomenda que veio dos Açores e me deixou muito feliz!

 

Março

  • O mais importante de tudo é o meu aniversário! E tudo o que a ele e a esse dia está associado :)
  • Carreguei um bocadinho a bateria num fim de semana com amigas em Peniche
  • Fiz algo que gostava de fazer mas pensava impossível - passar a Ponte 25 de Abril a correr e verifiquei que nadar me tem ajudado imenso em termos de condição física. Fiz a Mini Maratona (7kms) e quase todos a correr!
  • Voltei a dar sangue (próxima dádiva em Agosto)
  • Houve o Lanche das Primas
  • Fui visitar a PhotoArk – exposição sobre animais em vias de extinsão
  • Finalmente comprei o livro do Nelson Mandela “Cartas da Prisão”. Até agora, muito interessante. A dar que pensar, mas interessante.
  • Deixei um livro meu num banco de jardim e fiquei a ver quem o levou – foi muito giro!
  • A minha caixa do correio foi MUITO feliz este mês com postais de aniversário e uma carta. Deixaram-me o coração quentinho!
  • Na natação… voltámos a superar a barreira! Num dos treinos nadámos 2100m e a distância por treino tem aumentado
  • Coisas boas: este mês registei mais! Lá está, o hábito está enraizado: 29/31 dias de coisas boas
  • Entra em vigor a lista das 41 coisas e para um dos pontos se realizar… o maior passo já foi dado!

 

Planos para o mês de Abril

  • Ler, Ler, Ler
  • Ir ao Teatro
  • Pôr a escrita em dia
  • Participar na Scalabis Night Race – mantenho… correr não é o meu desporto… mas…
  • Dias de férias para fazer nada e fazer qualquer coisinha!
  • Usufruir de um presente de aniversário que recebi sob a forma de enigma
  • Olhar para a lista das 41 coisas e ver quando poderei fazer o quê
  • Partilhar aqui um bocadinho de algumas das experiências que vivi em Fevereiro e Março
  • Ah! Tratar do IRS