Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Problema Literário - Verão 2019

61F6F57A-E253-433A-AC77-0DAD6C7D164E.jpeg

O problema literário deste ano estava a ser mesmo um problema… há tantos livros que eu quero ler e tão pouco tempo para isso… Depois queria levar poucos… 3-4 achava eu… não deu… vou levar 6!

A seleção deste ano acabou por ser feita tendo em conta dois critérios: livros sobre viagens e livros que não acabei. Por norma leio mais do que um livro ao mesmo tempo. Tenho uma característica enquanto leitora, que às vezes é um grande defeito: enquanto não acabo o livro, lembro-me da história. Isso faz com que quando volto a pegar nele consigo continuar do ponto onde parei. Curiosamente, há imensos livros que quando acabo… a história “desaparece” da minha memória e não fica registado… É uma coisa estranha…

Assim sendo, aqui está a lista dos premiados para este Verão:

 

E vocês vão dedicar-se à leitura no Verão? Que livros escolheram?

 

 

Sei o que fizeste o mês passado – Junho

via

 

O mês passado não se quis distinguir dos anteriores e por isso fez o favor de passar a correr. Quando agora penso no que aconteceu parece que foram acontecimentos que já passaram há eu séculos! Só que não!

Tinha dito que queria ir jantar a uma das festas dos Santos. Pois bem… não fui a uma, nem a duas, mas sim a três festas! Mais do que cumprido este ponto! E muito bem cumprido porque me diverti bem!

Dei-me conta de que a maioria dos eventos onde eu costumo ir no Verão (o Cineconchas, a Feira Internacional do Artesanato e o Festival ao Largo, por exemplo) já estão a passar, ou já aconteceram, e eu quase nem dei conta que tenham começado. Continuo a culpar as alterações climáticas e o facto de parecer que ainda estamos lá para o início de Maio e não no Verão.

A Feira do Livro também foi uma das “vítimas”. Este ano fui lá três vezes… e comprei dois livros: O Homem mais rico do mundo e Marco Polo - Viagens, este último já está no grupo que integrará o Problema Literário de 2019 e as leituras de Verão.

No mês passado disse que estava com algumas condicionantes físicas… fiz uma ruptura de ligamentos, não lhe dei a devida atenção, e quando resolvi ir ao médico… já não fui a tempo de recuperar para a Corrida das Fogueiras… aliás… correr, ainda nem para apanhar o autocarro…

Falta falar do concerto do Eddie Vedder! Que foi um concertaço! Muito bom! Gostava de Pearl Jam mas nunca fui “FÔ. Uma das minhas amigas na adolescência era super fã e uma outra amiga, dos tempos da universidade, também. Foi com ela que fui ao concerto. Eu gostei muito! Surpreendeu-me até! A minha amiga A-DO-ROU! E eu fiquei muito feliz por ela e contente por termos ido juntas!

Ainda na onda da música, tenho andado a ouvir umas quantas músicas em repeat. Já é quase um ritual: saio do trabalho, ponho uma ou outra música, som bem alto e lá vou eu a “córtir” o meu final de dia!

O final de Junho e início de Julho tem sido uma correria e sinto que tenho andado em piloto automático. As férias estão a aproximar-se mas na minha cabeça ainda falta IMENSO tempo… mais uma vez… só que não!

 

Por isso… os planos para Julho são muito simples:

 

Só mais duas coisas! Uma é deixar aqui escrito, para ter forma de desejo, que também quero em Julho usar sandálias e roupa de verão durante uma semana seguida, sem precisar de um "casaquinho". Nem preciso de dizer porquê não é? A outra... uma sugestão musical: Eddie Vedder, por motivos óbvios, e Just Breathe só porque sim!

 

Como menos é mais

via

 

Mesmo quem ainda esteja numa fase muito inicial da sua missão destralhar ou quem tenha optado recentemente por mudar alguns dos seus hábitos face às “coisas” sentirá um ou outro destes benefícios. Encontrei uma infografia sobre o “menos é mais” e resolvi adaptá-la para a deixar aqui. Ora vejam:

 

  1. Menos stress – ter muitas coisas provoca stress e ansiedade
  2. Mais espaço – ter apenas o que precisamos e ter espaço para o que é importante
  3. Mais tranquilidade – ter menos coisas a ocupar o espaço visual tranquiliza
  4. Mais tempo – ganhamos todo o tempo que passávamos em arrumações e limpezas do que destralhámos
  5. Mais facilidade em encontrar coisas – menos coisas e cada coisa com o seu lugar são a combinação perfeita
  6. Mais produtividade – não se perde tempo com o que não é importante e ganhamos eficiência
  7. Menos manutenção – mais uma vez: menos coisas e cada coisa com o seu lugar. Só falta mesmo uma ou outra rotina de organização
  8. Menos drama com visitas inesperadas – o stress da “casa desarrumada” quando tocam inesperadamente à campainha deixa de existir
  9. Menos despesas – percebemos a diferença entre querer e precisar e por isso acabamos por comprar menos
  10. Mais qualidade – quando compramos optamos por comprar menos mas melhor
  11. Valorizamos mais – o que temos é muito mais apreciado e valorizado porque não é “mais um…”
  12. Mais presente – guardamos o que realmente é importante e não todo o nosso passado, vivemos no tempo presente e não no “e se…”
  13. Menos e melhor impacto – todas as nossas escolhas serão mais conscientes e isso irá ter um grande impacto positivo em várias áreas da nossa vida e do mundo à nossa volta
  14. Mais alegria – vamos perceber que realmente o que importa não são as “coisas” em si, vamos comparar-nos menos com os outros e vamos ter uma vida mais preenchida.