Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Planos para o resto do mês

 

via

 

Os meses começam num instante, chegam a meio num instante e acabam num instante. Tenho a sensação que às vezes passamos por eles e nem damos conta. O que não é necessariamente positivo. Este mês está já a mais de meio e as semanas que se aproximam estão cheias de atividades e compromissos. 

 

Não vou aqui deixar um registo exaustivo, nem os planos para esta semana. Ficam já os planos que tenho até ao final do mês porque o dia 30 está já aí ao virar da esquina. 

 

  • Estreia do filme "A livraria" baseado no livro como mesmo título 
  • Fim de semana para carregar baterias
  • Preparar um pic nic para a família - o picnic dos primos
  • Cuidados pessoais pré-férias
  • Ver os jogos da seleção
  • Pôr a escrita em dia
  • Fazer os possíveis para contrariar a app que diz que eu não vou destralhar 496 coisas até dia 27/06
  • Trocar finalmente a roupa e calçado de Inverno pelo de Verão

 

E por aí, muitos planos, ideias e coisas giras para fazer?

 

A Missão Destralhar volta a atacar!

via

 

Nesta coisa da vontade de mudar voltei a ter vontade de começar uma missão destralhar novamente. No ano passado fiz o desafio em Fevereiro por ter menos dias e por isso ser “mais” fácil. A meio deste mês decidi que estava na altura de fazer um novo desafio mas com um twist.

 

O objetivo é o mesmo de sempre: reduzir a quantidade de coisas que tenho em casa! Mas em vez de fazer dia 1 – 1 coisa, dia 16 – 16 coisas, porque nem sempre a vida corre como nós planeamos, decidi somar todos os dias, ver qual é o resultado e assim definir o meu objetivo.

 

Não vou tirar X coisas só porque é o dia X, vou sim escolher coisas e descontar nesse somatório. E o número pode parecer um bocadinho assustador… ou motivador. Mais uma vez depende como vemos o copo. São 496 coisas!

 

Eu acho motivador. Se calhar porque como sinto este bichinho da mudança… e tenho de o aproveitar! Já comecei esta missão na semana passada e entre roupa, canetas, produtos de higiene, e bugigangas… o meu número já reduziu bastante! Faltam-me apenas 387 coisas!!!

 

Fazer isto desta forma dá mais liberdade para podermos decidir quando nos dá mais jeito tratar do assunto. Imaginem que num sábado vos dá uma imensa vontade de pegar nas coisas e começar a destralhar sem parar, não é melhor tratar logo do assunto do que esperar pelos dias e continar a ver as coisas por ali? Ou então, no final de um dia de trabalho chegam a casa e decidem dedicar 5 minutos a essa causa. Será feito ao ritmo de cada um. Pode demorar um mês ou apenas 5 dias. Cada um verá o que é melhor para si. O que importa é fazer!

 

Ouvi num podcast uma sugestão para arrumações rápidas que se pode aplicar perfeitamente a este tipo de missão: pegar num cesto, ir passando pelas divisões da casa e ver o que não está no sítio, colocar no cesto e no final arrumar tudo. No caso da missão destralhar pode muito bem ser: pegar num cesto (eu tenho um saco daqueles do supermercado), ir passando pelas divisões da casa, abrir uma e outra gaveta e ver o que já não faz sentido ter em casa, colocar no cesto/saco e depois dar o seguimento que escolhemos para essas coisas. Também ajuda ter um saco para colocar lixo, porque apercebemo-nos que algumas coisas não passam disso.

 

No final é tirar as coisas de casa e pronto! E se tiverem ainda aquele receio de que podem precisar ou podem arrepender-se… normalmente as pessoas que fazem este tipo de destralhanço têm uma coisa em comum: há eventualmente uma coisa da qual se lembram passado algum tempo, mas de uma forma geral… essas coisas que são destralhadas não deixam saudades.

 

 

 

 

O resumo das semanas

 via

 

Contei aqui que as coisas andavam um bocadinho complicadas por estes lados. E como assumir um problema é meio caminho para a cura... Parei. Investi 1h30 do meu tempo a deitar tudo cá para fora, que é como quem diz para uma folha de papel, e esquematizei uma solução. Como fiz em Setembro mas desta vez de uma forma mais simples.

 

Não tinha tempo. Como nunca ninguém tem. A questão é que se eu somasse todos os minutos em que me perdia em pensamentos do que tinha para fazer, certamente consumia muito mais tempo do que a 1h30 que investi e acabava por não ter nada feito na mesma. 

 

Às vezes é disso mesmo que precisamos. Parar. Às vezes não, praticamente sempre. E se formos a ver... até os carrocéis param entre cada viagem. 

 

Por isso, depois de parar, pensar e esquematizar, estas foram algumas das coisas que consegui fazer nas últimas duas semanas:

  • almoços com amigas
  • preparação de refeições para a semana
  • menu para um mês e repsetivas compras de supermercado
  • tarefas domésticas
  • reguei os canteiros e os vasos
  • ouvi alguns podcasts
  • deitei-me a horas decentes e acordei bem disposta
  • até fui À festa (nesse dia claro que não me deitei a horas decentes... mas acordei muito bem disposta!)
  • comecei a incluir a roupa de Primavera... comecei porque como se vê... o tempo não anda certo...

 

 

Também já tenho os planos para os próximos dias

  • vários eventos de trabalho que condicionam o dia a dia normal
  • verificar os aniversários deste mês (que são muitos)
  • fazer marcações de exames de rotina (que também são muitos...)
  • experimentar o esfoliante detox de café para começar a preparar a pernoca para o sol
  • estudiar, estudiar, estudiar.

 

E porque, como em qualquer bom plano, é importante deixar espaço para imprevistos... voilá! Amanhã vou a um concerto inesperado com uma amiga! 

 

E por aí, muitos planos?