Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

São as férias...

via

 

Podia dizer que a culpa é das férias, mas não há aqui necessidade de culpar nada nem ninguém. O blog tem estado "meio" parado porque eu tenho andado "meio" ocupada a aproveitar dias de férias. 

 

O primeiro período de férias passou a correr. Não consegui fazer praticamente nada do que gostava de ter feito. Mas foi uma opção. Bastante consciente. Entre andar pressionada pelas expectativas e deixar-me levar pelo ritmo da realidade, optei pela segunda. Praticamente não li, não dormi sestas, não ouvi música. Foi literalmente "go with the flow". Depois vieram dias em família alargada e mais uma vez os dias passaram a correr. Quando é bom sabe sempre a pouco, não é?

 

E o blog foi ficando para trás... mas aos poucos vamos voltar ao ritmo. Em casa, no trabalho e no blog. Hoje ainda estou em modo de precisar de férias das férias... arriscava até a dizer que não estou sozinha... estou certa ou estou errada?

 

 

Problema literário - Verão 2018

DEEDA49D-3F3A-4892-87E6-EEF925EFCE6B.jpeg

 

Os livros que queria ler nas férias enchiam uma mala inteira. Tudo o que não consegui ler durante o ano começou a formar um montinho ao lado da estante. Livros dos mais variados temas e com os mais variados tempos de leitura (muito, de uma forma geral).

 

Não sei se vos acontece o mesmo mas a mim, quando chegam as férias, quero fazer sempre uma série de coisas que não consigo fazer ao longo do ano e depois dou por mim a querer meter o Rossio na Rua da Betesga. 

 

Tive de fazer escolhas... cheguei a um compromisso e deixei apenas 6 livros no tal monte das boas intenções. Optei por livros de leitura mais leve, que não precisem de grande exercício mental nem de grande reflexão. Um deles talvez...

 

Pode parecer preguiça, mas não é. Às vezes temos de nos deixar de coisas e fazer o que é possível em vez do que gostaríamos de fazer. E neste caso, fazer o que é possível significa fazer pouco. Porque tudo está a precisar de descanso. E se pensam que seis livros são muitos para quem quer fazer pouco estão muito certos. Os livros vão de passeio mas alguns estarão mesmo de férias.