Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Sapato não entra

via

 

 

Uma das minhas amigas viveu uns tempos no Japão, onde sapato não entra em casa. Outras duas amigas foram visitá-la e desde então que na casa de uma delas os sapatos ficam à porta. Numa visita a casa de uns amigos na Holanda e outra na Alemanha, fui convidada a deixar os meus sapatos numa espécie de hall de entrada para o efeito. E quem se lembra quando num dos episódios do Sexo e a Cidade, a Carrie foi a casa de uma amiga, que tinha a mesma regra, e ficou sem os sapatos? Quem acompanhou a série sabe o que os sapatos significavam para ela e também sabe o quanto representavam na sua conta bancária. Mas na casa da minha amiga H. isso nunca aconteceu.

 

Um dia destes dizia ela que sentia grandes diferenças desde o dia em que implementou essa regra lá em casa. E ninguém discute. Quando chegamos temos à nossa espera chinelos daqueles de hotel. Deixamos os sapatos à porta e ficamos logo muito mais confortáveis.

 

Eu por regra troco o sapato pela pantufa, ou chinelo, quando chego a casa, mas ainda não instituí a prática de o fazer logo à entrada da porta. Os sapatos acabam por entrar, e por vezes ficam calçados durante mais tempo. Por isso ainda não sinto todos os benefícios deste hábito.

 

Há quem estranhe, mas se pensarmos no conforto que sentimos quando nos descalçamos… e já para não falar no que não deixamos que nos entre em casa. E mais, se a isso associarmos a ideia de todas as coisas que deixamos do lado de fora da porta, e neste caso não estou a falar do lixo que vem agarrado ao sapato, esse hábito pode ser ainda mais salutar. O meu desmaquilhante tem um nome engraçado "take the day off", e neste caso podemos associar a mesma ideia ao calçado. Descalçamo-nos e deixamos à porta o trabalho, o stress, o trânsito e todo um conjunto de coisas menos confortáveis.

 

Esta é uma das mudanças que vou tentar pôr em prática já a partir de Fevereiro. As pantufas ficam à entrada, assim como uns chinelos para quem me visitar. Ontem já fiz um teste. Não deixar para amanhã uma coisa que podemos começar já hoje. Vamos ver como corre!

 

 

29 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D