Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Eu tentei...

 via

 

... mas acabei por desistir. "Dançar logo pela manhã" foi para mim um desafio não superado. De manhã preciso de alguma tranquilidade. Mas deu para perceber um conjunto de coisas, e isso foi positivo.

 

Num dos primeiros dias ouvi um podcast em que a Gretchen Rubin dizia qualquer coisa como "há efetivamente dois tipos de pessoas: os que funcionam bem de manhã, e os que não". Ou seja, podemos até treinar para acordar mais cedo mas esse treino estará sempre a desafiar a nossa natureza. Tal como eu percebi que era o que estava a fazer quando queria acordar e começar a dançar. Não funciona. Uma hora ou duas depois pode ser, num espaço de meia hora logo depois de acordar... nem por isso.

 

Entretanto estava a ler o Simplificar, da Brooke McAlary, e chego à parte em que ela diz que o seu ritmo (rotina) da manhã começa às 4h30... Claramente não faço parte desse grupo. Também diz, no entanto, que esta coisa dos ritmos deve ser adaptada à nossa realidade e à nossa vida. E tem razão. Aliás, uma das formas de simplificar é precisamente essa, não querer fazer tudo e mais alguma coisa só porque A, B ou C faz, nem acordar durante a noite porque há quem o faça, nem dançar logo pela manhã porque deve ser giro. Que até é, só não é para mim. Não consigo. 

 

Como vos tinha dito as músicas estão todas programadas até à próxima 4ª feira, e vão manter-se. Eu é que não vou fazer o esforço de acelerar o meu ritmo logo de manhã só porque sim. Até porque isso podia ser bastante nefasto :) 

 

Agora querem saber uma coisa engraçada? No livro da Brooke há uma frase que diz "Desfrute da dança ao seu próprio ritmo". Não podia ser mais apropriada! 

 

Alguém tentou este desafio? Está a funcionar? 

 

 

2 comentários

Comentar post