Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Continuar!

Em Dezembro corri numa corrida de São Silvestre. Era de noite, estava frio, eu ainda meia lesionada. Mas lá fui. Fui praticamente sempre em último lugar. Ao ponto de ficar “amiga” do Polícia que tinha como missão ser o “carro vassoura”, no caso, a mota.

Enquanto ele pacientemente me acompanhava foram várias as pessoas que desistiram. Eu, pedia-lhe que fosse avançando e esperasse por mim num determinado ponto. Não me ia acontecer nada, dizia-lhe eu. Ia alternando entre caminhar e correr. Quando ele percebeu que eu efetivamente não ia desistir, começou a aceder a esses meus pedidos. Ele avançava até um ponto, eu ia lá ter.

Há muitas teorias sobre o impacto da música nos nossos comportamentos. Música muito “mexida” num espaço comercial faz com que nos despachemos, música tranquila num consultório médico baixa os nossos níveis de apreensão, tranquiliza-nos.

Uso muitas vezes as músicas como medida, sobretudo para correr. Aliás, a par do “vou até ali a correr” há praticamente sempre o “vou correr até ao final da próxima música”. Ora… por vezes os acordes trocam-nos as voltas e a nossa força de vontade e resiliência são postos à prova.

Na caminhada matinal de hoje, a determinada altura, aconteceu aquilo que eu digo que raramente me acontece: tive vontade de correr! Mas na altura não podia. Entretanto, mais tarde, ouvi uma música que me levou diretamente para a dita corrida de São Silvestre e essa vontade regressou. E na altura, também não pude correr…  

Fez-me lembrar os 3:46 em que a ouvi, em sofrimento. Custou, mas não desisti!

Há dias que são um bocadinho como esta música foi para mim em Dezembro: puxada, exigente, desafiante. Testam-nos a força de vontade e a resiliência. Mas, ao mesmo tempo, também nos mostram que conseguimos! Conseguimos, muitas vezes, mais do que aquilo que pensamos conseguir. Muitas vezes o segredo é esse, continuar, como dizia o Churchill. E, de preferência, na companhia dos “Polícias” que vão ali ao lado, nos motivam e nos ajudam a nunca desistir!

 

Esta é a música de que estava a falar: 

 

 

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D