Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Julho é o mês de quê?!

 

Começámos logo mal… 1º dia do plastic free July e eu fui buscar o almoço com uma caixa descartável… mea culpa!

Como sabem os seguidores mais antigos do blog, o plástico de utilização única é uma causa à qual sou sensível. Nem sempre me consigo manter fiel à não utilização de algumas dessas coisas mas há outras que deixaram de fazer totalmente parte da minha vida. As palhinhas desapareceram. As escovas de dentes vão alternando entre plástico e bambu.

Todos temos aspetos onde podemos melhorar mas… como feito é melhor que perfeito, também neste caso, algumas mudanças são melhores que nenhumas. E não fui só eu que fiz ajustamentos. Algumas destas “pequenas” mudanças são mais visíveis mesmo em termos de convívio social – para mim o melhor exemplo são os copos reutilizáveis e com uma caução que se podem ver em várias esplanadas e cafés e também em festas populares.

É em Julho que me dedico mais a este “sindicato”. Nas férias dedico algum tempo à recolha dos plásticos que encontro na praia, um deixado por veraneantes, outro que o mar apanhou, levou e decidiu entretanto devolver à areia, como quem quer chamar à atenção.

Em Agosto com os meus priminhos também fazemos disso um jogo. Incentivar pelo jogo e sensibilizar para que não se juntem ao grupo dos que acham que não faz mal, que alguém irá apanhar, que “é só um saco, uma palhinha, uma tampinha…”. Só um, vezes milhões! Assim, incentivados pelo #take3forthesea damos o nosso contributo duplamente: tentamos reduzir e recolhemos, cada um, três ou mais plásticos que encontramos. 

Na newsletter que recebi por email a Plastic Free July deixa as seguintes dicas:

  • Ter sempre à mão os nossos “reutilizáveis”: saco para compras, copo ou garrafa
  • Planear as refeições e lanches para não sermos apanhados desprevenidos (como eu…)
  • Fazer compras a granel e perto de casa
  • Incentivar familiares, amigos e colegas de trabalho a participar neste desafio

 

Segundo uma publicação da Plastic Free July no Instagram, já mais de 120 milhões se inscreveram no site e declararam aceitar este desafio. Quem se junta a nós? Que plástico vão recusar ou deixar de usar? Não se esqueçam: sozinhos somos uma gota, juntos somos um oceano!

 

(mais posts sobre Julho - O mês sem plástico)

 

Como menos é mais

via

 

Mesmo quem ainda esteja numa fase muito inicial da sua missão destralhar ou quem tenha optado recentemente por mudar alguns dos seus hábitos face às “coisas” sentirá um ou outro destes benefícios. Encontrei uma infografia sobre o “menos é mais” e resolvi adaptá-la para a deixar aqui. Ora vejam:

 

  1. Menos stress – ter muitas coisas provoca stress e ansiedade
  2. Mais espaço – ter apenas o que precisamos e ter espaço para o que é importante
  3. Mais tranquilidade – ter menos coisas a ocupar o espaço visual tranquiliza
  4. Mais tempo – ganhamos todo o tempo que passávamos em arrumações e limpezas do que destralhámos
  5. Mais facilidade em encontrar coisas – menos coisas e cada coisa com o seu lugar são a combinação perfeita
  6. Mais produtividade – não se perde tempo com o que não é importante e ganhamos eficiência
  7. Menos manutenção – mais uma vez: menos coisas e cada coisa com o seu lugar. Só falta mesmo uma ou outra rotina de organização
  8. Menos drama com visitas inesperadas – o stress da “casa desarrumada” quando tocam inesperadamente à campainha deixa de existir
  9. Menos despesas – percebemos a diferença entre querer e precisar e por isso acabamos por comprar menos
  10. Mais qualidade – quando compramos optamos por comprar menos mas melhor
  11. Valorizamos mais – o que temos é muito mais apreciado e valorizado porque não é “mais um…”
  12. Mais presente – guardamos o que realmente é importante e não todo o nosso passado, vivemos no tempo presente e não no “e se…”
  13. Menos e melhor impacto – todas as nossas escolhas serão mais conscientes e isso irá ter um grande impacto positivo em várias áreas da nossa vida e do mundo à nossa volta
  14. Mais alegria – vamos perceber que realmente o que importa não são as “coisas” em si, vamos comparar-nos menos com os outros e vamos ter uma vida mais preenchida.

 

 

Desenhar o Verão

via

 

Este fim de semana foi dedicado a fazer muito pouco! Preguiça dirão uns, “self care” digo eu! E ainda digo outra coisa… devia ter feito ainda menos! Porque tal como os computadores, há alturas em que é preciso desligar e voltar a ligar! E chegou o mês de Julho! Assim… a correr!

Uma das coisas que fiz foi começar a preparar a mala para as férias. Ainda faltam muitos dias mas como tenho a sensação de que quando der por mim, estou a enfiar coisas para dentro da mala a correr para ir embora… preferi começar já com o básico: biquínis, fatos de banho e o estojo individual (há quem lhe chame bolsa de casa de banho mas desde pequena que na lista das coisas para os acampamentos estava o dito do estojo individual e por isso, para mim, é assim que lhe chamo).

A mala para as férias requer-se o mais básica possível. Levamos sempre coisas que acabamos por não precisar… Também comecei a identificar o meu Problema Literário deste ano… e o formato problema já está identificado – quero levar menos livros… mais quais escolher?!

Também ouvi um episódio do podcast da Gretchen Rubin em que ela e a irmã falavam sobre “desenhar o Verão”. Sugeriam que se por um lado há o risco de termos grandes expectativas sobre as férias por outro, o facto de sabermos o que queremos para esta estação do ano ajuda-nos a programar e organizar melhor estes meses. Como em qualquer outro projeto, saber o objetivo final ajuda-nos a definir uma estratégia e perceber o que queremos e não queremos fazer.

Pensei um bocadinho e… apesar da tendência para reduzir os três meses de Verão às três semanas de férias sei que quero ouvir música, dormir sestas, ouvir podcasts, ler livros com calma, escrever postais, comer peixe grelhado e muita salada de tomate, “esplanar” – essa arte de passar finais de tarde numa esplanada, rir-me com os meus primos nas nossas férias e dar a maior quantidade possível de mergulhos no mar!

Basicamente… é isto!

E o vosso Verão? Que cores tem o vosso desenho?

 

Pág. 5/5

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D