Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Desafio do Mês – Fevereiro

Destralhar - por onde começar

 

Aqui está uma lista de sugestões por onde começar esta missão. 

  • Elásticos e outros acessórios para o cabelo
  • Amostras de cremes, champôs, perfumes e afins
  • Toalhas velhas
  • Medicamentos fora da validade
  • Verniz seco
  • Cremes que nunca usamos
  • Champôs, amaciadores e gel de banho que já não usamos (ou restos deles que ficam num frasco à espera de ser acabados)
  •  Roupa interior que não esteja em condições ou não sirva
  • Lenços e cachecóis
  • Meias sem par ou com buracos
  • Pijamas velhos
  • Malas, carteiras, sacos
  • Almofadas, lençóis e mantas
  • Cabides extra (aqueles que vêm da lavandaria)
  • Revistas
  • Cds e dvds que já não ouvimos ou vemos
  • Brinquedos dos animais de estimação
  • Catalogos velhos (e folhetos e afins)
  • Plantas secas e mortas
  • Coisas fora da validade
  • Utensilios de cozinha em duplicado ou que não usamos
  • Caixas de plástico a mais ou sem tampa
  • Materiais de escritorio que não usamos e está a maislivros que não queremos voltar a ler
  • Velas que já não conseguimos acender.

 

Alguém tem mais sugestões?

Quem vai tentar este desafio?

Desafio do Mês – Fevereiro

Destralhar

 

Estava dividida no início do mês entre dois desafios. Acabei por escolher um que me parecia mais fácil. Parecia. Afinal não foi tanto. Decidi pegar numa ideia de um desafio minimalista e aplicar à minha realidade. E o desafio era destralhar consoante os dias do mês. No dia 1 retirar uma coisa de casa, no dia 15, 15 coisas, no dia 20, 20 coisas. E o que me parecia relativamente simples acabou por não ser. Fiz uma adaptação ao esquema a pensar que ia ajudar mas mesmo assim foi difícil. Em vez de retirar as coisas por dias, ia retirando e marcando o equivalente no calendário. Penso que a maior dificuldade está relacionada com o facto de já andar nisto de destralhar há algum tempo e por isso as coisas que já “não me trazem alegria” já não estarem em casa… logo, reduz o número de coisas a descontar…

Mas mesmo assim foi possível retirar mais umas quantas. Ora vejam:

 

  • Canetas (muitas)
  • Blocos de notas
  • Medicamentos (entregues na farmácia)
  • Pastas de arquivo
  • Touca de natação
  • Chinelos
  • Manta
  • Material de escritório
  • Calculadora
  • Produtos de beleza
  • Livros
  • Receitas que sei que nunca vou fazer (tinha dois dossiers)
  • Saco de praia
  • Revistas
  • Ingredientes fora da validade

 

Com isto tudo acabei por arrumar uma prateleira do armário, passar a utilizar umas velas que me ofereceram há tantos anos que até tenho vergonha de dizer aqui, arrumei a gaveta onde guardo os materiais de escritório, dei a manta que andava por lá a ocupar espaço, dei os materiais a quem lhes vai dar melhor utilização, reciclei as revistas e o papel (entrega no Banco Alimentar contribuindo, mesmo que pouco para a campanha Papel por Alimentos), usei amostras de champô e amaciador que andavam lá por casa há montes de tempo...

 

Para além da dificuldade por andar nisto há muito tempo, houve outros motivos. O primeiro de todos foi não ter estipulado um período concreto para esta missão. Se tivesse estipulado 20 minutos por dia, por exemplo, devia ter encontrado muito mais coisas. Depois, houve a dificuldade em definir se determinadas coisas eram lixo ou entravam para esta contagem. Optei por não contabilizar porque eram coisas que iriam sair de casa de qualquer maneira (não ia guardar o frasco do detergente, ou a embalagem do gel de banho). Também não contabilizei os itens digitais embora também se transformem em tralha…

 

A outra dificuldade, e que de certeza ia contribuir para fechar o desafio em grande, foi não ter atacado uma ou outra área que sei que tem pano para mangas. Todos nós sabemos qual é… aquela gaveta da cozinha, a caixa que está na dispensa, o armário da casa de banho, a estante, as prateleiras do escritório, e podia continuar… mas como cada um saberá identificar… ficamos por aqui J. No meu caso… são as bijuterias… e duas caixas verdes… assim de repente. Se pensar melhor encontro mais coisas. De certeza!

 

Seja como for, não desanimei e vou continuar até ter os dias todos riscados no calendário. Posso dizer que duas pessoas com quem partilhei este meu desafio decidiram alinhar comigo, uma já começou e a outra está quase a começar. Não é Su? Quem se junta a nós?

 

Para quem quiser alinhar nesta missão, amanhã deixo uma um lista de ideias por onde "atacar".

Quer ter uma vida melhor daqui a 5 anos?

 

via

 

A resposta deve ser um redondo SIM! Quem é que não quer ter uma vidinha nem que seja um bocadinho melhor? Há coisas que não são fáceis de mudar, circunstâncias mais complicadas, hábitos difíceis quer de mudar, quer de adquirir, mas... se pensarmos numa coisa de cada vez, aos poucos podemos ir fazendo pequenos ajustes que podem ter um impacto muito positivo daqui a 5 anos.

 

Recentemente fiz alguns ajustes na minha vida e pelo menos um, ou dois, deles posso dizer que tiveram consequências muito visíveis: passei a tomar o pequeno almoço todos os dias a horas normais (e não a meio da manhã) e passei a lanchar duas vezes. No ínicio chegou a ser doloroso, mas agora, passado quase um ano, os efeitos são mensuráveis. Claro que as coisas não mudam de um dia para o outro e não foram hábitos isolados, ou coisas que acordei e me lembrei de fazer, contudo, e apesar de ter muitas dúvidas no início, o que é certo é que funcionou.

E por isso, aqui deixo uma listinha (sabem que eu adoro listas!) de alguns hábitos, atitudes, formas de estar na vida, ideias, que podem ajudar a longo prazo a termos uma vida melhor:

  • ter hábitos mais saudáveis - fazer exercício moderado e que nos dá gozo e ter uma alimentação cuidada
  • ouvir conselhos - sobretudo dos mais velhos
  • ser gentil
  • cortar nos açúcares
  • divertir-se
  • estabelecer e manter ligação/relações
  • poupar dinheiro
  • ter um passatempo - nem que seja fazer palavras cruzadas
  • viajar
  • tratar e tomar conta da pele
  • estar ao sol, sem esquecer a proteção solar
  • ter tempo para se mimar, aquilo a que chamo "me time"
  • ter conversas daquelas boas, interessantes - embora as disparatadas e cheias de risota também sejam fundamentais
  • ajudar o próximo
  • fazer coisas que nos "assustem", que nos tiram da nossa zona de conforto
  • definir objetivos para daqui a 3 anos
  • criar um "vision board", um placard, um caderno, um perfil no pinterest, um local onde podemos agrupar imagens de coisas que gostamos: imagens de viagens que queremos fazer, "modelitos" que queremos experimentar, pratos que queremos provar, etc
  • trabalhar todos os dias um bocadinho mais focados nos nossos objetivos
  • meditar
  • registar os nossos dias num diário

 

Pág. 1/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D