Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Tradição de Natal: Uma mesa de Natal bem posta

 via

 

Quando era mais nova, a noite de Natal era a oportunidade que os pratos, talheres e copos do Serviço de Jantar da minha mãe tinham de sair à rua. Era a grande noite em que podiam brilhar na mesa. Sim, brilhar, porque não só são bonitos, como também têm uns motivos dourados no meio das barras verdes. 

 

Talvez seja por causa desses pratos que tenho um fraquinho por mesas bem postas. E não quero com isso dizer que temos que ter o melhor serviço da Vista Alegre, ou o talher de prata que era da tetra-avó. Não é isso. Para termos uma mesa bem posta precisamos sobretudo de o fazer com amor e carinho. 

 

A missão de pôr a mesa para o jantar de Natal é minha. E é com muito gosto que o faço. Gosto de colocar tudo direitinho, os copos certinhos, os talheres alinhados, a toalha bem esticada. Dá-me gozo!

 

E depois há todo um conjunto de pequenos apontamentos que podemos colocar na mesa para lhe dar um ar mais festivo: o guardanapo com motivos de Natal, um raminho de alecrim, uma velinha aqui ou ali, um centro de mesa simples ou mais elaborado, marcadores de lugar feitos pelos filhos, um bom-bom como vi ontem no instagram numa mesa super simples e muito bonita, uma pequena mensagem, e muitas outras ideias. 

 

Tenho andado a pensar na mesa de Natal deste ano. Apetece-me voltar a dar autorização aos pratos da minha mãe para uma saída à noite. Resta saber se ela vai permitir...