Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Justamente, Julieta.

Julieta.jpg

via

 

O nosso mundo é mesmo uma ervilha. Cheguei até à “Julieta” numa hora de almoço, enquanto falava com uma das minhas colegas, sobre o trabalho que uma amiga dela está a desenvolver. E verificámos a teoria dos seis graus. Todos estamos ligados uns aos outros até uma cadeia de seis pessoas. E fui pesquisar o perfil do Insta_Julieta. Que coisas giras! E dali fui pesquisar o blog e fiquei a saber mais coisas sobre ela e sobre o seu trabalho.

 

Como muitos outros portugueses, a Sara – alter ego da Julieta na vida real :) – saiu do país. Está na Holanda onde se dedica às suas lãs.

 

Quando comecei a ver as fotos dela no instagram fiquei cheia de vontade de pôr mãos à obra e fazer pegas, e crochet, e bases de copos, e tudo e mais alguma coisa! As cores, as lãs… Depois caí na realidade, ainda estou a anos luz de conseguir fazer uma daquelas rosáceas, quanto mais uma pega redondinha e com várias cores…

 

Parece-me que agora está mais dedicada aos trabalhos em tear, como o que está nesta foto. E também são lindos! Tem um simples com risquinhas que me faz lembrar o tear que o meu avô Luís me fez quando andava no ciclo e onde eu depois fiz risquinhas de cores muito parecidas com as que ela utiliza. É uma das minhas fotos favoritas por me lembrar o meu avô. (Curiosamente quando estava à procura da foto para colocar aqui encontrei um texto sobre "a visita" que achei delicioso... por vários motivos, mas sobretudo pela sensação que tem sempre que "fico de coração embargado mal o vejo entrar pela porta do café". Percebo-a.)

 

Mas ainda não disse porque me lembrei de falar aqui da Sara, para além do seu trabalho. Um dia li um texto dela sobre: Trabalho: Expectativas vs Realidade. De muitas coisas que ela diz sobre a forma como o trabalho é encarado e sobre o que é o trabalho, também comenta a ilusão que podemos ter sempre que vemos aquelas fotos lindas e maravilhosas, de casas e famílias perfeitas. Relembra ela que "todos temos dias de cabelo oleoso, depilação por fazer e calças de fato-de-treino, refeições no McDonalds e maratonas de séries na televisão. Dias cinzentos sem inspiração, ideias novas, esperança ou produtividade". E é verdade. Todos temos. Mas ninguém gosta de falar nisso! 

 

Por isso, depois de gostar do trabalho dela, que acho que vale a pena conhecer, quando li isto disse "Bem, acho que devia falar dela no blog!". Et voilà!

 

E agora uma nota para a Sara: espero que a vitamina D já esteja a fazer efeito e que continues a pôr as mãos à obra porque a tua obra é linda!

 

 

 

4 comentários

Comentar post