Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Edição Limitada

“Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”. Clarice Lispector

Desafio do Mês - Julho

 

via

#plasticfreeJuly

 

Já sou sensível a algumas questões ambientais há uns tempos. Não sou fundamentalista, mas a ideia de "deixar o mundo um pouco melhor" faz pensar e reciclar, em termos de ambiente, é aquele mínimo. Pode até custar um pouco no início, como custa adquirir qualquer hábito, mas acreditem que custa muito mais depararmo-nos com a não reciclagem , locais e pessoas que não praticam esses mínimos. Parece que ficamos sem saber o que fazer às coisas. Porque sabemos que não são lixo... Para mim, não reciclar é uma coisa mesmo estranha.

 

A semana passada descobri que existe esta coisa do "Plastic Free July" através do Slow Home Podcast. Pouco depois, mais uma nota no Slower. Et voilá, decidi que era esta o desafio do mês de Julho. Mesmo a calhar! Acho que este é provavelmente o desafio mais difícil até agora. Não depende só de mim, embora dependa na grande maioria. Pelo que vi a semana passada... vai ser um desafio hercúleo...

 

O plástico está por todo o lado e o pior é que nem nos damos conta disso. Até começarmos a pensar no assunto. Mais ou menos como os carros amarelo, achamos que não há e depois... No podcast a Brooke refere algo em que também nunca tinha pensado: considerando o tempo que o plástico demora a "desaparecer", todo o plástico que foi produzido até hoje continua por aí. TODO! 

 

O desafio é por isso reduzir os plásticos de forma geral, os descartáveis em particular, e por isso aqueles que vamos "atacar" primeiro: 

 

  • sacos de plástico
  • palhinhas
  • copos de sumo, café e ou as suas tampinhas
  • garrafas de água

 

Uma grande parte da dificuldade deste desafio deve-se à invisibilidade destas coisas. Estão de tal forma enraizados no nosso dia a dia que nem nos damos conta. Desde a semana passada que fiquei mais atenta a esta questão e comecei a notar. Estão por todo o lado! Eu optei por reduzir ao máximo possível o que utilizo destes elementos. Nem sempre é fácil por não haver alternativas no momento. Requer preparação e apresentação de alternativas. E um ou outro olhar tipo "ele há com cada uma...!"

 

Outro aspeto que comecei a notar, e isto depois de ver um vídeo também relacionado com desperdício, foi a quantidade de lixo que produzimos. Não temos noção. Eu pelo menos não tenho. No dia de reciclar as embalagens leva-se o saco para o contentor e pronto. Mas quantas garrafas de água, copos de iogurte ou embalagens de detergente consumimos por semana, mês ou ano? Isso penso que não sabemos... 

 

As preocupações ambienteis, e as preocupações em deixar o mundo um pouco melhor, não são questões de modas. São problemas reais com impactos reais. No podcast falaram de uns vídeos sobre "ilhas de plástico". Ainda não tive coragem de ir ver...

 

Outros desafios do mês

2 comentários

Comentar post